Acervo

O acervo do MARCO originou-se da Pinacoteca Estadual, prêmios aquisitivos dos salões de arte (realizados a partir de 1979), além de doações espontâneas e de artistas plásticos. Em 1984 o acervo contava com 230 obras abrigadas no Centro Cultural José Octavio Guizzo, espaço institucional para a realização de salões e mostras individuais e coletivas.

As doações, principal forma de aquisição de obras do MARCO, dão a tônica do crescimento de seu acervo. São feitas basicamente por artistas, famílias e colecionadores tais como Pietro Maria Bardi, Renato Magalhães Gouvêa e Lélia Rita de Figueiredo.

Cabe destacar a doação de 110 obras de Lídia Baís, feita por sua família, considerada uma das pioneiras das artes plásticas no Estado, o que permitirá aos pesquisadores e interessados, após a conclusão do processo de restauro já iniciado, o estudo de seu verdadeiro vulto histórico. Em 2003, outras duas significativas doações foram incorporadas a coleção do museu: um conjunto de 138 obras da gravurista Vânia Pereira e 104 obras do artista plástico Genésio Fernandes.

Este vasto e significativo acervo compõe-se atualmente de cerca de 1500 obras nas mais diversas linguagens, sendo contemplado em 2004 com um espaço exclusivo para a sua exposição parcial. Isso oportuniza o acesso do público às obras de valor artístico e histórico, consolidando o papel do MARCO na democratização de seus bens culturais.

Anúncios